O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Edson Fachin revogou nesta segunda-feira, 3, a decisão liminar que determinou o compartilhamento de dados entre as forças-tarefa da Operação Lava Jato, no Paraná, no Rio de Janeiro e São Paulo com a Procuradoria Geral da República (PGR).

Em 9 de julho, Toffoli atendeu a um pedido do PGR, Augusto Aras, que relatou ter enfrentado “resistência ao compartilhamento” e à “supervisão de informações” por parte dos procuradores da República.

Dessa forma, Toffoli entendeu que os dados tinham de ser enviados ao Ministério Público.

Conforme o ministro do STF, o tipo de ação utilizada pela PGR, uma reclamação, não era cabível para tratar do compartilhamento de dados.

Isso porque o recurso apresentado ao STF usou como base um julgamento do tribunal sobre deslocamentos de procuradores dentro do MPF, informou a revista Oeste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Talvez você queira saber disso

As evidencias de Fraude nas eleições dos EUA são apresentadas pela equipe de TRUMP durante coletiva

A grande mídia e a campanha de Biden reclamaram que a campanha…

Delegada afirmou que o crime no Carrefour não foi racismo

A delegada responsável pela investigação do homicídio de João Alberto Silveira Freitas,…

URGENTE: Crime eleitoral no CEARÁ envolvendo Irmão de Naumi Amorim, candidato de Ciro Gomes

A Polícia Civil do Ceará prendeu cinco homens suspeitos de crime eleitoral…

Justiça para Rhuan: Mãe e companheira são condenadas a 129 anos de prisão

A Justiça do Distrito Federal condenou, nesta quarta-feira (25), as duas mulheres…

Juiz nega pedido de indenização de modelo trans contra Sikêra Jr.

O juiz Marco Antônio Barbosa de Freitas, da 16ª Vara Cível do…

Com ajuda de Lewandowski Lula vai poder ter mais acesso nas “delações da Odebrecht”

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), ampliou o acesso…