NOTICIAS

Procurador leva punição por ofender a hora de Bolsonaro

Redação Publica Brasil
Escrito por Redação Publica Brasil em agosto 13, 2019
Procurador leva punição por ofender a hora de Bolsonaro
Junte-se a os outros

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Rômulo de Andrade Moreira ficará um mês afastado sem receber salário por ofensas contra o presidente Bolsonaro.

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) decidiu, nesta terça-feira (13), suspender por 30 dias o procurador de Justiça da Bahia.

 Rômulo de Andrade Moreira, acusado de ofender a honra do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Logo após as eleições do ano passado, Moreira escreveu em um blog na internet que o presidente eleito seria um “bunda-suja, fascista, preconceituoso, desqualificado, homofóbico, racista, misógino, retrógrado, arauto da tortura, adorador de torturadores, amante das ditaduras, subserviente aos militares”.

De acordo com a decisão do CNMP, Moreira ficará um mês afastado de sua atividades profissionais sem receber salário.

O vice-procurador da República, Luciano Maia, relator do caso, afirmou que o procurador “violou deveres legais de manter pública e particularmente conduta ilibada e compatível com o exercício do cargo e de zelar pelo prestígio da Justiça, por suas prerrogativas e pela dignidade de suas funções, e pelo respeito aos membros do Ministério Público, aos magistrados e advogados”.

O relator argumentou que Moreira fez ataques pessoais a Bolsonaro e, por isso, teria extrapolado o direito à liberdade de expressão, informa o jornal O Globo.

Leia Mais:



Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Replies to “Procurador leva punição por ofender a hora de Bolsonaro”

LUIS CESAR LOPES ZEREDO

achei muito leve essa punição!

nino bernardes

Ofender dessa forma o eleito e representante da NAÇÃO BRASILEIRA e só receber essa puniçãozinha de merreca é enganar a boa fé de todos nós … é demonstrar de forma escancarada e escarrada o corporativismo dos membros do judiciário… além de mostrar o esquerdismo doentio que impera nessa categoria.É um deboche com a verdadeira JUSTIÇA que ainda pode existir em nosso BRASIL.