Porque Juca atacou Sergio Moro, será que tem a ver com a suspeita de Propinas da Odebrecht para ele?

De acordo com a publicação do Poder360 a Polícia Federal deflagrou na manhã desta 5ª feira (8.nov.2018) a Operação Armistício.

A Policia Federal acredita que houve o recebimento ilegal de propina pelo senador Romero Jucá (MDB), em 2012, para que fosse aprovada no Senado uma resolução que restringia a chamada “guerra fiscal nos portos” .

Ainda segundo o Jornal os alvos da operação, que estão mantidos em sigilo pela PF, são supostos beneficiários de Jucá. No entanto, o senador não é alvo direto da ação. Os pagamentos de R$ 4 milhões teriam sido feitos pela empreiteira Odebrecht.

A ação foi autorizada pelo ministro do STF Edson Fachin, por estar relacionada a 1 inquérito já aberto no STF (Supremo Tribunal Federal) que investiga Romero Jucá.

Foram autorizados 9 mandatos de busca e apreensão: 7 em São Paulo, 1 em Santos e 1 em Campo Limpo. Os alvos da operação são mantidos em sigilo.

Nesta semana publicamos a seguinte informação: Romero Juca ataca Sergio Moro: ‘Não é uma novidade para o juiz Sérgio Moro fazer política’ . No texto mostramos parte de uma entrevista de Juca dada ao Estadão em que o senador faz ataques indiretos a indicação de Sergio Moro para o Ministério da Justiça.

Será que o temor da investigação ficar mais intensa com Moro no Comando da Justiça, é o motivo do ataque?

Leia mais;

JUCÁ DECLARA R$ 194,8 DE PATRIMÔNIO AO REGISTRAR CANDIDATURA NO TSE

Estamos no Twitter

+No Comando da Justiça Sergio Moro pode fazer devassa e PT está em pânico, Entenda!

2 thoughts on “Porque Juca atacou Sergio Moro, será que tem a ver com a suspeita de Propinas da Odebrecht para ele?

  1. Mais uma ratazana em apuros. Outras surgirão. Não sei quanto tempo o país levará para se soerguer e mondar essa mamparra encrustada em todos os seguimentos institucionais. Estamos a vislumbrar um novo alvorecer. Haverá dificuldades no caminhar. As velhas práticas políticas serão usadas para obstaculizar o novo governo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *