Gabriela Hardt bloqueia R$ 20 milhões de alvos da Lava Jato

A juíza Gabriela Hardt, da 13.ª Vara Federal de Curitiba, decretou o bloqueio de R$ 20 milhões no âmbito da Operação Quinto Ano — fase 59 da Lava Jato — que investiga propinas milionárias em contratos da Transpetro.

Os R$ 20 milhões bloqueados pela magistrada Gabriela Hardt estavam nas contas do empresário Wilson Quintella, do executivo Antonio Kanji e do advogado Mauro de Morais.

Gabriela também mandou prender os três.

A investigação mira supostos pagamentos de propinas do Grupo Estre a executivos da Transpetro, subsidiária da Petrobrás, em contratos firmados entre 2008 e 2014, que somam R$ 682 milhões.

As propinas chegam a R$ 22 milhões, segundo a Operação Lava Jato.

Na decisão, Gabriela determinou que, para os bloqueios, não importa se os valores estão “misturados” com recursos de procedência lícita.

O montante foi arbitrado pela própria magistrada ao atender o Ministério Público Federal, que pediu o “bloqueio sem limites” das contas dos investigados, conforme registra o Estadão

In

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *