Connect with us

“Estou com medo e arrependido”, diz youtuber que ameaçou matar Bolsonaro



JUSTIÇA

“Estou com medo e arrependido”, diz youtuber que ameaçou matar Bolsonaro

O youtuber Vinícius Guerreiro, o Vina Guerreiro, de 37 anos, disse que está arrependido de ter ameaçado Jair Bolsonaro.

E com medo. Em entrevista ao Estadão, ele contou que fez o vídeo com ataques ao presidente, no dia 30 de julho,

porque havia passado um dia tenso em que fez exaustivo trabalho em uma comunidade carente da zona Sul de São Paulo e,

mais tarde, já em casa, ouviu “a piada que o presidente fez do desaparecimento do pai do Felipe Santa Cruz” – mandatário da OAB Nacional,

cujo pai, Fernando, sumiu em fevereiro de 1974, no auge do regime de exceção.

Vina Guerreiro disse:

“Não tem mais condição de aceitar um b… como Bolsonaro no poder. Ele tem que ser assassinado, ele e a família.”

O vídeo foi anexado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, à ordem que deu à Polícia Federal para abrir inquérito contra Vina Guerreiro, que poderá ser enquadrado na Lei de Segurança Nacional.

“Foi um acesso que eu tive, um arroubo, eu cometi muito exagero ali”, admite o youtuber. “Eu não tenho nenhuma vontade disso, nem essa ideia de assassinar o presidente. Aquilo foi um grito mesmo de ‘chega’. Eu não tenho vontade de fazer uma violência dessas.”

Nascido em São Carlos, interior paulista, pai de um menino de 12 anos, Vina Guerreiro disse que se deixou contaminar pela “intolerância raivosa”.

Ao se declarar arrependido da ameaça ao presidente, Vina Guerreiro ganhou um aliado de peso, o criminalista Antônio Cláudio Mariz de Oliveira.

Com 50 anos de advocacia, Mariz resolveu assumir o caso do youtuber. “Na medida em que ele disse ter se arrependido concordei em assumir o caso. Eu não iria defender quem quer assassinar alguém.”

LEIA A ENTREVISTA COM VINA GUERREIRO

ESTADÃO: Por que você fez aquele vídeo com ataques a Bolsonaro?
VINA GUERREIRO: Eu andava muito indignado, ainda ando. Alguns problemas ocorreram na minha vida pessoal de duas semanas para cá. Naquele dia, 30 de julho, era uma terça feira, eu tinha acabado de fazer um trabalho de base numa comunidade, um trabalho voluntário, e ali eu vi muita pobreza.

Foi na comunidade Anchieta no Grajaú, são favelas de madeirite, não tem quase alvenaria lá.

Eu vi esgoto a céu aberto, as crianças, muita coisa ruim, muita coisa pesada mesmo de se ver. Eu passei lá desde o fim da manhã até quase a noite. Aí voltei para casa com fotos, registros do local.

A gente ia fazer uma grande ação com pessoal que consegui organizar para ajudar a comunidade com cursos, uma série de coisas, edificação e também agricultura urbana, horta comunitária.

Eu estava muito imbuído de fazer isso. Foi quando liguei o computador. Eu estava bem cansado, pensei, vou fazer o vídeo antes de dormir, aí eu vi alguns comentários e li a matéria sobre o Bolsonaro, o presidente falando em relação ao Santa Cruz, assim, fazendo piada da morte do pai dele, dizendo que explicaria o desaparecimento.

Aquilo me deixou muito indignado. Eu já estava meio cansado, quando eu me deparei com a pobreza e ouvi essa fala do presidente, fiquei muito indignado.

Todo dia é uma fala nesse sentido, o presidente ofendendo alguém, ofendendo a memória de alguém, ofendendo a história, eu realmente perdi a linha. Ali acabou prá mim. Foi um acesso, um arroubo, eu cometi muito exagero ali.

ESTADÃO: Você não tem intenção de fazer o que disse no vídeo?
VINA GUERREIRO: Não, eu não tenho nenhuma vontade disso, nem essa ideia. Aquilo foi um grito mesmo de ‘chega’. Eu não tenho vontade de fazer uma violência dessas.

ESTADÃO: Está arrependido de postar o vídeo?
VINA GUERREIRO: Muito.

ESTADÃO: Se for chamado à Polícia Federal vai dizer isso?
VINA GUERREIRO: Sim, estou disposto a dizer isso. É que não fui intimado. Andaram dizendo que estou foragido. Eu não estou foragido, estou à disposição da Justiça.

ESTADÃO: Como reagiu quando quando soube que o ministro Sérgio Moro mandou a PF abrir inquérito?
VINA GUERREIRO: Eu me desesperei. Não imaginava uma repercussão desse tamanho. O meu canal tem 6 mil inscritos, gera em torno de 500 visualizações, é pequeno, não é um canal de muita visibilidade. Eu não imaginava que isso fosse crescer assim.

Eu caí na realidade. Se isso chegou no Moro deve ter chegado ao presidente! Nossa, todo mundo está sabendo. Então eu pensei e liguei para um amigo. ‘Preciso de ajuda’.

ESTADÃO: Você está sofrendo ameaças?
VINA GUERREIRO: Eu já estava sofrendo ameaças. Da semana passada para cá as ameaças foram muito grandes, muitas no celular, pelas redes sociais também. Por isso fechei as redes.

Minha esposa foi ameaçada, a loja da minha cunhada também recebeu ameaças, até do meu filho chegaram a falar alguma coisa. Eu já tinha fechado, já tinha tirado esse vídeo do ar, quando começaram as ameças à minha esposa. Tirei tudo do ar, falaram que eu tinha fugido.

ESTADÃO: Você tem ódio do presidente?
VINA GUERREIRO: Não é ódio. Minha indignação foi resultado dessa combinação: passei um dia inteiro na comunidade, no meio da miséria absoluta, e depois ouvi aquilo que o presidente falou sobre o pai do Felipe Santa Cruz. Essa combinação deu esse pico sim, mas já tem algum tempo que eu ando estressado.

ESTADÃO: É filiado a algum partido?
VIA GUERREIRO: Sou filiado ao PDT, mas depois desse evento infeliz me afastei para preservar o partido.

Me desliguei da presidência do Movimento Comunitário Trabalhista (MCT). De fato, eu não sou muito simpático ao Bolsonaro, mas se ele fizesse um bom governo eu não teria porque falar contra ele da forma como falei.

Continue Reading
You may also like...
4 Comments

4 Comments

  1. Caipira Urbano

    agosto 13, 2019 at 12:07 pm

    Fica ice “guerreiro”, ainda é muito cedo para sentir medo. Reserve o seu arrego que o processo é um pouco longo. Por ora vai preparando suas alegações de inimputabilidade por ser portador de Transtorno Delirante Persistente. Funcionou com o Adélio.
    Ademais, vc está com um advogado renomado que entre outros já defendeu a Suzane Richthofen, Pimenta Neves, Celso Pitta e até o Michel Temer.
    Força aí!

  2. maria jose dos reis

    agosto 13, 2019 at 1:16 pm

    vc sempre foi um lixo de humano terrorista bandido assassinos igual a todos do pt achou que ia falar e ficar tudo bem e povo ia te aplaudir o povo de bem aplaude coisas boas e vitoriosas o que nosso presidente falou foi verdade todos era vagabundos terrorista e assassinos os que estar vivos quase levou o brasil e seus povos de bem quase arruina total e vcs se fazendo de vitimas bando de covarde mentirosos um bando de doentes o povo de bem quer nosso presidente bolsonaro um homem de carater que fala verdade ama o brasil e ama povo simples e sofrido porque quem votou nele tambem ama ele e o brasil e fim de papo de uma coisa vcs do contra pode ter certeza so DEUS PODE PARAR NOSSO PRESIDENTE

  3. Luiz

    agosto 13, 2019 at 2:02 pm

    Pior do que escreveu , é dizer que está arrependido. Não esta não , isso é Estratégia de Defesa , Vc faz parte de uma CAMARILHA ( eu disse camarilha / quadrilha ) Ladrões , Corruptos e aproveitadores que ficam usando a pobreza fazendo matérias em em comunidades pra ganhar a vida sem fazer esforço , usando os menos favorecidos.Desculpa ESFARRAPADA , sera que só agora vc teve vontade de fazer esse levantamento , não conheço o local , mais a favela é fruto do atual Governo , porque depois da Vitória do Presidente , essa atitude faz parte dos desesperados e aproveitadores que perderam a MAMATA , é inicio de campanha pra 2022 , processo de negativação do Governo que veio e vai salvar o Brasil de vcs comunistas FDP. Vão todos se F……er novamente. Avisa pro Presidente GALHUDO do seu partido , entendeu o galhudo né , que o Brasil acordou , o Gigante estava Adormecido , o Povo não cai mais nesta estratégia. A saída agora é procurar um trabalho ou Se juntar com Pedetistas , Tucanos , Petistas , Psolistas , todos os comunistas e como alternativa ir pra cuba trabalhar( situação que vcs tem ojeriza ) nas fábricas de charutos , ir pra Coreia do Norte , URSS encher os cornos de vodka , ou quiça contrabandear Cocaína , atividade que já faziam num passado recente . Atenção a fornalha esta prontinha pra receber matéria pra virar Pó.

  4. joão

    agosto 13, 2019 at 3:16 pm

    Tipico dos bostas. Bundão ! Muito tipico dos pares…

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in JUSTIÇA

Em alta

Advertisement

Facebook

POLITICA

To Top