Carta Aberta: O povo quer uma resposta do TSE sobre a suposta invasão do sistema que foi denunciada

Cara Ministra Rosa Weber, o povo brasileiro anceia por uma resposta do Supremo Tribunal Eleitoral sobre o caso denunciado pelos sites Tecmundo e Jota.info.

Os sites publicaram informações sobre um ataque ao sistema secreto do TSE, na publicação constam documentos sigilosos e partes dos códigos do sistema GEDAI-UE.

O GEDAI-UE é um gerenciador de dados, aplicativos e interface com a urna

De acordo com o TecMundo os documentos  foram recebidos por meio de duas fontes anônimas em outubro.  E após análise interna, os arquivos foram enviados em sua completude ao Tribunal Superior Eleitoral para autenticação.

Até o momento desta publicação, o TSE não enviou um posicionamento sobre o caso. Por outro lado, fontes do JOTA, que atuou ao lado do TecMundo na apuração, indicaram que houve uma mobilização no Tribunal após o recebimento dos arquivos.

De acordo com o pessoal do JOTA, ao ser questionado sobre o fato nesta semana, o TSE conferiu os dados e confirmou que, de fato, pessoas de fora da Corte podem ter tido acesso a informações sobre os equipamentos que o TSE mantém sob segredo.

O site diz que o que os invasores não tiveram acesso ao módulo do sigilo do voto: isso significa que não foi possível acessar a parte do sistema que exibe os votos dos eleitores. Além disso, o código do GEDAI é “público”: após a assinatura de um termo de sigilo, partidos, MP e OAB, por exemplo, podem pedir o acesso

No entanto é crucial que o TSE de um esclarecimento mais amplo a população!

Mesmo que o ataque não tenha afetado o resultado das eleições isso coloca em xeque a confiabilidade do sistema, tendo em vista que não há o registro físico do voto para que possa ser auditado em casos de suspeita de fraude. Alem disso mesmo que não houve fraude no sistema o hacker disse ao site que obteve documentos sigilosos e até mesmo credenciais, sendo login de um ministro substituto do TSE.

Trecho da conversa:

“Tive acesso à rede interna (intranet) e, por vários meses, fiquei explorando a rede, inclusive entrando em diversas máquinas diferentes do TSE, em busca de compreender o funcionamento dos sistemas de votação”, escreveu a fonte. “Com isso, obtive milhares de códigos-fontes, documentos sigilosos e até mesmo credenciais, sendo login de um ministro substituto do TSE (Sérgio Banhos) e diversos técnicos, alguns sendo ligados à alta cúpula de TI do TSE, ligado ao pai das urnas (Giuseppe Janino)”.  (Fonte: TecMundo)

Estamos no Twitter

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *