Boulos e Lindbergh deram chilique contra proposta de Moro que isenta policiais que matam em legítima defesa

Com a apresentação do pacote de propostas anticrime do ministro da Justiça, Sergio Moro, foi proposto também que policiais possam ser julgados em liberdade, quando vierem a matar criminosos, e tenham a sua pena reduzida pela metade, no caso de “o excesso decorrer de escusável medo, surpresa ou violenta emoção”.

A proposta de Moro também traz ampliações sobre o que pode ser considerado legítima defesa dos agentes:

“I – o agente policial ou de segurança pública que, em conflito armado ou em risco iminente de conflito armado, previne injusta e iminente agressão a direito seu ou de outrem; e

II – o agente policial ou de segurança pública que previne agressão ou risco de agressão a vítima mantida refém durante a prática de crimes.(NR)”

“Se a autoridade policial verificar, quando da lavratura do auto de prisão em flagrante, que o agente manifestamente praticou o fato nas condições constantes dos incisos I a III do caput do art. 23 do Código Penal, poderá, fundamentadamente, deixar de efetuar a prisão, sem prejuízo da investigação cabível, registrando em termo de compromisso a obrigatoriedade de comparecimento a todos os atos processuais, sob pena de revelia e prisão.”

A proposta já está dando o que falar, gerando críticas por parte da esquerda que já se manifestou contra a proposta. O invasor de propriedade, Guilherme Boulos, publicou em sua conta no Twitter que a medida legaliza “a pena de morte,  sem julgamento, praticada por agentes públicos.”

 

https://platform.twitter.com/widgets.js

Lindbergh Farias, também publicou na sua conta no Twitter uma crítica a proposta, dizendo que “na prática é licença para matar”.

 

https://platform.twitter.com/widgets.js

Info: MBL NEWS

Leia Mais:

Uso de tecnologia no transporte de presos agrada a governadores

 

 

2 thoughts on “Boulos e Lindbergh deram chilique contra proposta de Moro que isenta policiais que matam em legítima defesa

  1. Sempre tocando na mesma tecla….querendo proteger bandido na contramão do que o povo quer e precisa, ou seja reagir finalmente contra o crime e bandido, protegendo o citadão do bem. Até quando temos que aguentar esta cooperação politico criminoso.

  2. Entre a licença para matar concedida a bandidos pelos governos esquerdistas, é preferível dar licença de legitima defesa para quem age em defesa da sociedade. Matar para roubar e às vezes por nada pode? Não. Fora bandidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *