Após a chegada de Bombardeiros russos, Navios de Guerra iraniano chegarão a Venezuela

Maduro busca apoio militar para se perpetuar no comando da Venezuela.

O Irã anunciou o envio de embarcações militares para as costas venezuelanas como parte de uma missão sul-americana que pode durar cinco meses.

Isso ocorre em meio às crescentes tensões entre Washington e Teerã, o governo iraniano lançou na semana passada o destroier Sahand, construído no país islâmico, com propriedades furtivas que permitem evitar a detecção de radares. Ele pode transportar helicópteros, disparar torpedos e derrubar aviões.

“Nossos planos para o futuro próximo incluem enviar dois ou três navios, com helicópteros especiais, para a
Venezuela. Farão parte de uma missão sul-americana, que pode durar cinco meses”, disse o vice-comandante da
Marinha iraniana, contra-almirante Touraj Hassani Moqaddam.

 

LEIA MAIS 

Após encontro com Putin, Nicolás Maduro anuncia investimento bilionário da Rússia na Venezuela

+Pessoas com “sotaque cubano” estariam torturando venezuelanos contrários ao Governo de Maduro

Presidente da China nega empréstimo de US$ 5 bilhões para Maduro

O anúncio foi feito pelo vice-comandante da Marinha iraniana, o almirante Touraj Moqaddam Hassani, que ofereceu detalhes sobre o novo destróier Sahand, capaz de transportar helicópteros, lançar torpedos e derrubar aviões.

O anúncio disparou alarmes. Segundo especialistas consultados por jornal americano, a chegada desses navios poderia “alterar o equilíbrio geopolítico regional e seria muito difícil de ser ignorado pelos Estados Unidos”.

Bombardeiros Russos

No dia 10 de dezembro, dois bombardeiros estratégicos russos Tu-160, um avião de transporte militar An-124 e uma aeronave Il-62 voaram da Rússia à Venezuela, percorrendo 10 mil quilômetros, para realização de manobras com o país bolivariano.

Os modelos são capazes de transportar ogivas nucleares.

 

Poder pelo Poder 

Maduro alega que existe um plano da Colômbia, EUA e Brasil para assassina-lo, por isso a manobra militar conjunta da Venezuela com a Russia é um alerta, e causar tensão militar na região.

Nicolás Maduro quer se perpetuar no comando da Venezuela e para isso precisa demostrar poder para se manter no poder. O futuro governo do Brasil, com o presidente Jair Bolsonaro, defende a restauração da democracia no país vizinho e ja falou em atuar para que isso aconteça.

Na Venezuela a crise é humanitária,  milhões estão morrendo em condições precárias e de sobre vida, outros milhões de venezuelanos abandonaram o pais atravessando as fronteiras de países vizinhos como o Brasil e a Colômbia.

Temendo que outros países da América do sul passem a não reconhecer a legitimidade do governo venezuelano e contribua para o seu fim, Nicolás Maduro busca alianças militares e comerciais com países onde a democracia não é existente, como Russia, Irã e China.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *